Época da visita: 30/07 a 02/08/18

Urubici é uma das principais cidades da Serra Catarinense e uma excelente base para conhecer a região. Apesar de estar em uma localidade que comumente registra as temperaturas mais baixas do país e ser bastante procurada para “turismo de inverno”, é um local rodeado de belezas naturais e maravilhoso de ser visitado em qualquer época do ano.

A cidade é pequena (aproximadamente 10 mil habitantes), mas há uma boa oferta de hospedagens e restaurantes, e próximo à cidade existem vários hotéis-fazenda.

 

Chegando em Urubici

Existem diferentes caminhos para chegar a Urubici, dependendo de qual seja a cidade/região de origem, mas sem dúvida o caminho mais bonito é a Serra do Rio do Rastro – que é a atração mais famosa da Serra Catarinense. Essa serra é cortada por um trecho cheio de curvas da estrada SC-390 entre os municípios de Lauro Müller e Bom Jardim da Serra.

Quanto mais se sobe, mais fechadas vão sendo as curvas, e o visual em um dia limpo é de tirar o fôlego – posso afirmar isso pois passei por lá uma vez há cerca de 20 anos.

Pois, nesta oportunidade, fomos desde Porto Alegre até Lauro Müller com dia limpo, céu azul e poucas nuvens, mas à medida que fomos entrando na Serra, a neblina foi se adensando. Quanto mais perto do topo e mais fechadas as curvas, menor era a visibilidade 🙄 .

Há ao longo da estrada alguns refúgios que o pessoal usa para parar e curtir o visual – muito cuidado com o trânsito, especialmente de caminhões! Como a visibilidade estava bem prejudicada, paramos somente no Monumento aos Tropeiros, junto a uma pequena queda d’água que é a nascente do Rio do Rastro.

monumento tropeiros

Monumento aos Tropeiros, na subida da Serra do Rio do Rastro.

nascente rio rastro

Nascente do Rio do Rastro.

 

Mais alguns minutos de estrada, chegamos ao Mirante da Serra do Rio do Rastro: um amplo estacionamento, restaurante e lojinhas. Visibilidade da Serra: zero… 

banner mirante serra rio rastro

Banner junto ao mirante da Serra do Rio do Rastro, mostrando tudo que a gente não viu pessoalmente neste dia… 😕

mirante serra rio rastro

Até o letreiro estava encoberto!

 

Pelo menos nos divertimos vendo um grupo de quatis sendo alimentado por uma família, até que um deles roubou o pacote de salgadinhos da mão do guri, fugiu e acabou com a brincadeira 😀 .

quatis serra rio rastro

Bando de quatis ganhando comida.

 

Lá no mirante havia a propaganda deste site aqui, em que uma câmera mostra em tempo real as condições de visibilidade: http://serradoriodorastroaovivo.com.br/. A ideia é ótima, porém acompanhamos o site pelos três dias seguintes e ele mostrava sempre a mesma imagem esbranquiçada da neblina, um dia olhei só de curiosa lá pelas dez da noite e a imagem era a mesma. Acho que não era mesmo para vermos a Serra desta vez 😀 . Hoje entrei nele para conferir e as imagens estavam, aparentemente, em tempo real. Pode ser útil para quem estiver fazendo sua viagem por lá.

Apenas 7 quilômetros de estrada depois, nem parecia o mesmo dia. Paramos junto ao pórtico de entrada de Bom Jardim da Serra, um céu azul perfeito sem uma nuvem. Ao lado fica a Cascata da Barrinha, bem bonita. É tranquilo de descer a pequena escadaria que leva às margens da água.

portico bom jardim serra

Pórtico de Bom Jardim da Serra.

bom jardim serra

cascata barrinha 1

Cascata da Barrinha.

cascata barrinha 2

 

Depois disso, seguimos por aproximadamente mais uma hora de viagem até o Mirante de Urubici, fica na estrada mesmo e há um recuo para deixar os veículos. A vista da cidade é bem legal, cercada de morros. A construção que se destaca no cenário é a igreja da cidade.

mirante urubici

Urubici vista do mirante.

 

Logo após o mirante, há um paredão com inscrições rupestres. Estão construindo uma estrutura junto a essas inscrições, um restaurante ou pousada ou algo nessa linha, e uma passarela de acesso para cadeirantes chegarem até as inscrições. Faltou só alguma informação, uma placa ou algo do tipo, que explicasse sobre as origens das figuras (ano, quem fez, etc). Tomara que coloquem algo do tipo ao final das obras.

inscrição rupestre urubici

Uma das inscrições rupestres.

 

Após mais alguns minutos de estrada chegamos em Urubici.

 

Onde nos hospedamos

Ficamos na Pousada Aconchego, uma agradável hospedagem econômica bem no centro da cidade, perto de restaurantes, lancherias, supermercados e a uma quadra da sede do ICMBio. Instalações novinhas, café da manhã, wi-fi, quarto com ar condicionado e frigobar, além de termos sido recebidos por pessoas muito simpáticas. 

 

Quantos dias na cidade

Ficamos três pernoites lá. O dia de ida não foi perdido, pois passamos por estes lugares lindos que já relatei aí acima. Nos dois dias seguintes, visitamos tudo que era possível (tirando atrações temporariamente sem acesso ou desaconselhadas para o inverno), e na manhã do quarto dia fomos embora cedo.

Achei uma quantidade apropriada de tempo, deu para conhecer as atrações com calma. É um ótimo destino para um feriadão ou final de semana prolongado, pois em 3 ou 4 dias dá para aproveitar bem.

 

Sugestões de lugares para comer:

  • La Fondue Muller – o foco da casa está no seu nome, a sequência de fondue. O proprietário tinha um restaurante em Gramado por vários anos e resolveu ir embora e apostar no turismo em ascensão de Urubici.  Tem também alguns pratos a la carte, mas acabamos optando por outra proposta da casa: um buffet de sopas. Cinco opções de sopas, fumegantes e com acompanhamentos como queijo ralado, temperinho verde, pimentas, etc, ótimo para esquentar o corpo após um dia frio na região. Ah, e adorei também a decoração do lugar, toda rústica, com madeiras reutilizadas, portões de ferro formando divisórias de ambientes e objetos antigos enfeitando.
  • Armazém Vale das Montanhas – lugarzinho bem simpático e aconchegante, também com decoração rústica e caprichada. Tomamos um cafezinho um dia de tarde, acompanhado de uma torta de maçã da casa.
  • Zeca’s Bar – um restaurante de estilo mais comum, opção para quem está a fim de comida “normal”: arroz, feijão etc. Mesmo à noite o buffet fica disponível, e o preço varia em função da carne escolhida. Comemos truta, que é a especialidade da casa – estava gostosa, mas o restante da comida não tem nada demais. Eles servem também pizzas.
  • O Bifão – restaurante bem popular e econômico. Almoçamos lá dois dias, no primeiro comemos no buffet e no segundo chegamos tarde e nos serviram um prato feito, bem servido. Comida comum, suficiente para se alimentar pagando pouco.
  • Emporium Serra do Sol – foi o restaurante que mais gostei por lá. Também com decoração bonita e rústica – é uma tendência de muitos estabelecimentos lá 🙂 . Eles tem boas opções de chopps e cervejas artesanais, e uma boa adega de vinhos catarinenses. Comemos uma massa aos quatro queijos com medalhões de filé mignon, uma porção para duas pessoas bem servida a um preço honesto e que estava muito saborosa.

 

Duas coisas importantes sobre os restaurantes:

  1. vários deles estavam fechados na quarta-feira (à noite). Era nossa última noite lá, pretendíamos ir no Semola e estava fechado, e notamos que muitos outros da avenida principal também estavam (acabou sendo bom, pois fomos no Emporium Serra do Sol e gostamos muito).
  2. serve não só para os restaurantes, mas para o comércio em geral: muitos lugares não aceitam cartão de crédito. Alguns aceitam cartão de débito, mas é bom também sempre ter dinheiro vivo.

 

Urubici se mostrou uma cidade muito tranquila. Nos pareceu Gramado, mas há vários anos atrás, quando seus visitantes eram basicamente os gaúchos. Muitos lugares e estabelecimentos estão reformando, construindo, ampliando… é notável que eles estão investindo bastante no turismo e certamente vai crescer.

Gostamos muito da calmaria da cidade e em especial da natureza maravilhosa que a cerca. Para ler sobre as atrações turísticas da cidade, clica aqui.