A relação dos japoneses com sua comida é muito bonita. Enquanto estava em fase de planejamento da viagem à Terra do Sol Nascente, assisti uma série bem interessante na Netflix, tratando sobre as comidas e os hábitos no Japão.

Samurai Gourmet é baseada em um mangá (história em quadrinhos), e tem como personagem principal Takeshi Kasumi. Ele é um senhor de 60 anos que acaba de se aposentar e fica meio “sem chão” por não ter mais a rotina diária de trabalho. Aos poucos, ele vai descobrindo o prazer de explorar restaurantes, pratos e bebidas que lhe proporcionam muito mais do que a satisfação de comer. Takeshi é um cara muito bonzinho e um tanto inseguro, mas em determinadas situações surge o samurai determinado, justo e destemido (mas só na sua cabeça, é tipo seu alter-ego 🙂 ).

A série é gostosa de assistir, despretensiosa, um bom entretenimento. Os episódios são curtos (cerca de 20 minutos de duração), sendo uma boa opção para ocupar aquelas brechinhas de tempo livre (dica: assistir durante alguma refeição, pois dá uma fome… 😉 ).

Mas o que realmente gostei nela, foi ter conhecido um pouco mais sobre diferentes pratos japoneses e os costumes que os acompanham – esse é o seu verdadeiro tema principal. As cenas de comidas são lindas! Produtos frescos, panelas fumegantes, ingredientes combinados com suavidade, tudo muito bonito e delicado. Dá para sentir o amor e o respeito que eles têm pelos alimentos.

 

Seguem aí algumas das coisas que a série mostra:

 

  • Itadakimasu

Sempre antes de uma refeição, eles agradecem pelo alimento unindo as mãos, curvando-se à frente levemente e dizendo “Itadakimasu” – ou “obrigado pela comida”.

Olhem que bonito o que a Silvia, do site Japão em Foco, escreveu sobre isso: “O agradecimento inclui plantas e animais que deram suas vidas ou que direta ou indiretamente contribuíram para que a refeição pudesse ser feita e também agricultores, pescadores, caçadores, criadores de animais e ainda o chef de cozinha, ou qualquer outra pessoa que tenha preparado a comida” (post completo aqui).

 

  • Kanpai

É o nosso tradicional “saúde” ao fazer um brinde. Pelamor, não se diz tim-tim, pois tem significado de órgão sexual masculino 😀 !

 

  • Izakaya

São os bares, e porque não chamar de botecos, japoneses. É um local para beber saquê e cerveja, e há uma variedade de petiscos para serem saboreados com a bebida.

izakaya ou bar japonês

Foto de macchi, licença CC BY-SA 2.0.

 

  • Yakiniku

É o churrasco japonês. Uma grelha sobre um recipiente com carvão é colocada à mesa, e os comensais vão preparando as finas fatias de carne na hora (uma mistura de fondue de carnes com parrilla 🙂 ).

yakiniku tipo de comida do japão

Foto de lo5t, licença CC BY-SA 2.0.

 

  • Bentô

Ou obentô. É uma espécie de marmita, onde em um recipiente com divisórias acondiciona-se uma refeição completa composta de uma proteína (peixe ou carne), arroz e algum acompanhamento, como legumes.

bentô

Foto de Raita Futo, licença CC BY 2.0.

 

  • Lámen

Também chamado de rámen. Esse já é bastante conhecido por nós aqui no Brasil, mas não vale achar que é a mesma coisa que miojo 😛 . Um rico caldo transparente à base de ossos (geralmente de porco ou frango), com macarrão de trigo, fatias finas de porco, shoyu, alga, cebolinha verde, entre outras variações de ingredientes.

Outro filme interessante que tem o lámen como tema principal é o Tampopo. É uma comédia com humor bem diferente do nosso, mas é bem interessante ver todo o processo para se preparar um bom lámen, entre outras belas cenas relacionadas a alimentos.

 

  • Yakitori

É um tipo de frango no espeto, tanto da sua carne como de suas vísceras, mas o termo também é usado para outros alimentos preparados em espetinhos, como tofu, cogumelos, legumes etc.

yakitori

Foto de nakashi, licença CC BY-SA 2.0.

 

  • Oden

Um prato próprio para dias frios, são legumes, tofu e ovos cozidos preparados lentamente em um caldo à base de peixe e molho de soja.

oden

Foto de 5th Luna, licença CC BY-NC 2.0.

 

Bom, isso aí é só um resumão do que é mostrado na série. Diversos costumes e hábitos da sua cultura estão nas entrelinhas de cada um dos apenas 12 episódios. E dá também para curtir bastante os detalhes da vida japonesa: a casa onde ele mora com sua esposa, as ruas, o trânsito, a arquitetura e etc. Vale a pena assistir, tanto para quem está programando uma viagem ao Japão, ou já foi para lá e quer matar um pouco da saudade, ou para quem tem apenas curiosidade de conhecer um pouco mais sobre esse povo!


Tens algo a acrescentar? Deixa um comentário! 😉

Boas viagens a todos!