A visita noturna ao Coliseu é uma modalidade que funciona em poucos meses do ano, no período do verão europeu (principalmente julho/agosto, mas pode englobar períodos de junho e/ou setembro).

Quando estivemos em Roma pela primeira vez era inverno (janeiro/2014) e as visitas eram somente de dia. Porém, quando estivemos em Roma pela segunda vez (em julho/2017), tivemos a oportunidade de participar do evento La Luna sul Colosseo (literalmente: a lua sobre o Coliseu).

O Coliseu

O Coliseu dispensa grandes apresentações: o maior anfiteatro do mundo, erguido no século I D.C. Uma das atrações turísticas mais visitadas de Roma e também do mundo.

O ditado fala que “(não fazer determinada coisa)…é como ir à Roma e não ver o Papa”, mas se tem coisa que eu não consigo imaginar quando falamos de Roma, é uma pessoa visitar essa cidade sem ir conhecer o Coliseu, nem que seja pelo menos para ver seu exterior.

Para conhecê-lo internamente, adquire-se o bilhete que dá direito de entrada também no Foro Romano, e a visita é auto-guiada. Querendo, vários guias ficam oferecendo seus serviços nos arredores dessa atração. Confere horários de visitação e informações sobre ingressos no site oficial.

Visita Noturna ao Coliseu

À noite, apos a saída dos visitantes regulares, iniciam-se as visitas noturnas.

Os tour são guiados, em grupos pequenos e disponíveis em italiano, espanhol e inglês. Os participantes são levados a áreas do Coliseu que não são comumente abertas para quem adquire o ingresso normal. Além disso, tem todo o charme de ver o Coliseu por dentro iluminado e um guia contando um monte de histórias, curiosidades e mitos sobre o local.

Os ingressos são pouca coisa mais caros que o bilhete regular, e podem ser adquiridos aqui. Recomenda-se comprá-los com antecedência.

Se for possível agendar o passeio para uma noite de lua cheia, tudo fica ainda melhor. Nós tivemos a sorte de pegar uma noite límpida e com a lua redondinha no céu, foi lindo!

Como foi nossa Visita Noturna ao Coliseu

Chegamos com uns 45 minutos de antecedência, levamos o comprovante de compra impresso e passamos na bilheteria para trocar pelos ingressos. Ainda faltava um tempo para o início, ficamos curtindo os arredores e o entardecer.

Entardecer sobre o Foro Romano.
Entardecer sobre o Foro Romano.

Nossa visita iniciou às 20h20min, o dia ainda estava claro. A primeira coisa que chama a atenção é ver tudo sem estar abarrotado de turistas, pois apenas os pequenos grupos guiados estão lá dentro e organizados de maneira que não fiquem se encontrando.

Coliseu.

Passamos pela parte da platéia, depois pelo pedaço que recria parcialmente a arena e descemos às galerias. O ritmo do guia é frenético, passando uma enxurrada de informações, fica até difícil lembrar de tudo. Mas na hora tudo faz muito sentido e só aumenta o encantamento de estar participando deste tour.

Lá embaixo, nas galerias, é o espaço onde ficavam os prisioneiros e animais usados nos “espetáculos”. O guia conta o horror que era ser um prisioneiro e ter que lutar (literalmente) para viver, talvez somente até o próximo combate. Mostrou os locais onde ficavam as pessoas e também os animais; e a engenhosidade dos elevadores, movidos por escravos, que alçavam os combatentes até a arena.

Visita noturna ao Coliseu.
As galerias do Coliseu.

Engenhosidade, aliás, usada também na própria construção, pois as pedras são milimetricamente encaixadas. Tudo bem que hoje em dia existem vários trabalhos de reparação e manutenção da estrutura, mas pensar que aquilo ali foi erguido em 70-80 d.C. e segue em pé até hoje é impressionante.

Visita noturna ao Coliseu.
Corredores sob a arena do Coliseu, com seus pilares de pedra milimetricamente encaixadas.

Seguimos por uns corredores internos, onde ele vai mostrando painéis e pinturas de acontecimentos relacionados ao anfiteatro em diferentes épocas. Aliás, o nome verdadeiro do lugar é Anfiteatro Flavio, e o termo colosseo vem de uma antiga estátua de Nero que existia nas proximidades e que era enorme (colossal).

Visita noturna ao Coliseu.

Uma maquete é usada para mostrar como era a parte externa. Muito do mármore do revestimento foi extraído ao longo dos séculos para ser usado em outras construções de Roma, como diversas igrejas, inclusive por ordens de alguns Papas.

Visita noturna ao Coliseu.

Também nessa maquete podemos ver os diferentes níveis da plateia e o guia conta quais pessoas podiam sentar em cada um deles. Bem lá embaixo ficavam os importantes, tipo senadores. E bem lá em cima, as pessoas mais “insignificantes”: as mulheres. 😡

Visita noturna ao Coliseu.

Depois de toda essa visita por partes internas, quando saímos ao ar livre já era noite. E a primeira visão que tivemos foi… a lua sobre o Coliseu! Foi MÁ-GI-CO! Foi aquele “óóóóó” generalizado. 🙂

Visita noturna ao Coliseu.
Visita noturna ao Coliseu.

Como tudo que é bom dura pouco, os cerca de 75 minutos do tour passaram voando. Foi sensacional e recomendo muito!

Visita noturna ao Coliseu.
Inesquecível!

Para finalizar a noite, escolhemos um dos muitos restaurantes dos arredores, todos cheios de gente aproveitando o final do dia e o clima agradável. Comemos no Luzzi, opções de massas (é claro) e pratos de carne com legumes a preços decentes, comida ok. Voltamos a pé por ruas tranquilas até a nossa hospedagem.


Durante esta viagem visitamos também Nápoles, Pompéia, Costa Amalfitana e Sicília (lê o roteiro completo aqui).


Realizamos esse tour em 09 de julho de 2017.


O blog fica muito melhor e mais completo com tua participação. Tens alguma sugestão para dar, alguma informação a acrescentar, alguma dúvida? Deixa nos comentários 😉