Utilizar o deslocamento de um trem noturno na Itália combina três aspectos: a economia de uma diária de hospedagem, poupar tempo (“dormir” em um destino e “acordar” em outro) e a experiência (no nosso caso, inusitada) de passar a noite em uma cabine de trem.

Depois de explorar a Costa Amalfitana, o próximo destino da nossa viagem pelo Sul da Itália era a Sicília: aquela ilha bem ao sul do país, em frente ao “dedão do pé da bota”. Cerca de 500 quilômetros separam a Costa Amalfitana de Taormina (nosso primeiro destino siciliano), e foi então que resolvemos unir os três aspectos que citei acima e fazer esse deslocamento em um trem noturno.

Clica aqui para ler os posts sobre a magnífica Costa Amalfitana.

Trem noturno na Itália: de Nápoles a Taormina

A companhia que opera essa linha de trem é a Trenitalia. Para ser mais exata, o trem, chamado de Intercity Notte, sai de Roma, faz uma parada em Nápoles e então segue para a Sicília. É interessante que o mesmo trem que sai de Roma, ao atravessar o mar no Estreito de Messina, é dividido: parte dos vagões segue na direção sul (até Catânia, com paradas em algumas cidades incluindo Taormina) e a outra parte segue na direção oeste (até Palermo, da mesma forma, parando em algumas cidades do caminho).

Bem curioso também é a passagem do trem no Estreito de Messina: não há ponte ou túnel que faça a ligação entre o continente e a ilha siciliana. O trem é embarcado em enormes balsas com trilhos, atravessa o estreito e é desembarcado do outro lado.

O trem no interior da balsa que faz a travessia do Estreito de Messina.
Foto “Train on a ship (3/4)” de Darkroom Daze, sob licença CC BY-NC-SA 2.0.

Para conseguir os maiores descontos nos bilhetes dos trens da Trenitalia, é necessário comprar com bastante antecedência: os tíquetes podem ser comprados aproximadamente 90 a 120 dias antes da data da viagem. A dica é ficar acompanhando o site até estar disponível a compra para a data que queres – foi isso que fizemos e conseguimos pegar as tarifas Super Economy. Pagamos 67,40 euros em dois bilhetes em uma cabine dupla (beliche), enquanto uma tarifa normal ficava em cerca de 80 euros por pessoa no mesmo tipo de cabine.

Consultando no site da Trenitalia, vais ver que existem também opções diurnas para este deslocamento, que podem inclusive ser mais baratas (lembrando que, nesse caso, será necessário gastar com uma diária de hotel: coloca na ponta do lápis e vê o que vale mais a pena para ti 😉 ).

Há ainda a opção de compartilhar uma cabine quádrupla, ou até mesmo viajar no vagão de assentos convencionais. São alternativas para baratear o deslocamento, mas pensa também que isso pode te fazer chegar cansado demais no próximo destino. Prós e contras a serem considerados.

Como foi nossa experiência com o trem noturno na Itália: de Nápoles a Taormina

Antes de mais nada, tivemos que nos deslocar de Minori (nossa base na Costa Amalfitana) de ônibus até Salerno, e em Salerno pegar um trem para Nápoles. Compramos na hora o bilhete Salerno-Nápoles, pois é um trem regional, que opera em uma frequência razoável e o valor não muda sendo comprado com antecedência.

Dica: na época da nossa viagem não havia esta opção, mas atualmente o Intercitty Notte para em Salerno antes de seguir viagem para a Sicília. Se estás na Costa Amalfitana, confere esta possibilidade de seguir diretamente sem ter que voltar a Nápoles. 😉

Continuando: nesse dia, o painel da estação de Salerno anunciava que o trem que pretendíamos pegar atrasaria em 20 minutos. Muitos incêndios estavam ocorrendo na região e um deles estava bloqueando parte da linha. Em seguida, a previsão de atraso pulou de 20 para 50, para 60 e para 70 minutos! Suamos frio, achando que perderíamos o trem para Taormina. De fato, o trem partiu com 70 minutos de atraso, e fez um trajeto maior (e mais demorado) para evitar a linha que estava interrompida, mas felizmente, como demos uma boa margem de antecedência, chegamos a tempo. Portanto, por favor, não deixem um prazo muito apertado para chegar à estação de partida do trem noturno para evitar problemas!

Acabamos chegando na estação Napoli Centrale bem mais tarde do que pretendíamos, e as lojas da estação já estavam quase todas fechadas, inclusive um bar/restaurante grande que tem na entrada. Fomos fazer um lanche no Burger King, única opção ainda aberta, mas enquanto comíamos o segurança do local praticamente nos expulsou dali pois também estava fechando, mal deu tempo de terminar de engolir tudo. 😀 A estação estava um pouco sinistra, com pouquíssima gente circulando. Mas não achamos inseguro, havia diversos guardas.

O trem vindo de Roma chegou no horário. Mostramos os tíquetes impressos (que recebemos por e-mail após a compra) e embarcamos.

A nossa cabine, dupla, era compacta, mas era melhor do que a gente esperava! Há um pequeno lavabo, eles dão um kit de higiene pessoal, as roupas de cama eram bem novinhas (limpas e cheirosas), e há um banheiro por vagão. Enfim, não é um luxo, mas dá para descansar e estar pronto para aproveitar o próximo destino no dia seguinte.

Trem noturno na Itália.
Nossa cabine.
Trem noturno na Itália.
O lavabo dentro da cabine.
Trem noturno na Itália.
As cortesias para cada passageiro.
Trem noturno na Itália.
Corredor do nosso vagão.

O trem ficou cerca de uma hora parado, os funcionários nos informaram que estavam consertando algo na locomotiva. Nesse meio tempo, notamos uma gritaria no nosso vagão. Um homem e uma mulher discutindo sem parar. Saímos para o corredor para espiar, e era na cabine ao lado da nossa. Eu não sei o que eles estavam fazendo, mas muitas das suas coisas estavam no corredor do vagão! Tanto bagagens quanto algumas peças das próprias camas da cabine!

Era um casal de italianos, bem idosos. Os dois brigões, gritões, dramáticos… Pensa naquele tipo de italiano mais caricato! Não paravam de discutir e de fazer barulhos, parecia que estavam desmontando a cabine. Em uma das vezes que eu saí para o corredor para ver o que estava acontecendo, o senhor estava sentado sobre uma mala, com a mão na testa e repetindo “io sono nato un disgraziato…” (eu nasci um desgraçado). 😀

O trem finalmente partiu. Tanto ar-condicionado quanto eletricidade nas tomadas da cabine só funcionaram a partir daí, aproveitamos para carregar nossos celulares.

Ficamos um tempão olhando pela janela, vendo as luzes das cidades. Quando decidimos tentar dormir, notamos o quanto era complicado, por causa do barulho do trem. Pelo menos o casal do lado, pelo jeito, tinha dormido.

Levei muito tempo para pegar no sono, mas quando consegui, apaguei. O Rodrigo disse que acordou no início da manhã, com o barulho do trem embarcando na balsa da travessia do Estreito de Messina. Eu estava curiosíssima para ver essa parte do trajeto – adoro essas coisas engenhosas – mas estava “desmaiada” (o segredinho: tampões de ouvido. Se tens sono leve, como eu, eles são companheiros inseparáveis de viagem).

Quando acabou a barulheira do embarque dos vagões, o Rodrigo disse que pensou “ah, agora vamos navegar um trecho, vai ficar bem silencioso e vou dormir que nem um anjo”… Mas adivinha quem acordou? O casal de velhinhos na cabine ao lado, já discutindo!

Atravessamos, desembarcaram o trem, e eles lá brigando, até descer na estação de Messina, logo após a travessia. Que gente doida 😀 ! Por essas e por outras pagamos um pouco mais para ficar na cabine dupla. Imagina pegar uma cabine de quatro lugares e compartilhar com gente assim?

Em seguida o funcionário do nosso vagão bateu na porta da nossa cabine para nos acordar e nos servir café da manhã. Um suco de caixinha, um croissant embalado e um café de máquina. Um lanchinho simples e satisfatório, como eu disse, o trem não tem nada de luxos.

Descemos na estação Taormina-Giardini e o trem seguiu rumo a Catânia. Apesar do atraso na partida, chegamos lá praticamente na hora prevista.

Foi a primeira vez que fizemos uma viagem desse tipo e foi uma experiência bem interessante. Não é uma noite de sono maravilhosa, mas é uma boa opção para conciliar um deslocamento grande sem perder tempo com trens diurnos ou mesmo com a função de um voo (ir até o aeroporto, check in, espera, etc…).


Nossa viagem no Trem noturno na Itália: de Nápoles a Taormina aconteceu em 18 de julho de 2017.


O blog fica muito melhor e mais completo com tua participação. Tens alguma sugestão para dar, alguma informação a acrescentar, alguma dúvida? Deixa nos comentários 😉