O Parque da Cachoeira é uma ótima opção para curtir a natureza e fugir das multidões na Serra Gaúcha – seja para passar o dia, para hospedar-se em uma de suas cabanas ou apartamentos ou para acampar no local.

Como chegar no Parque da Cachoeira

O parque fica a 18 km do centro de Canela e a 25 km do centro de Gramado: é preciso pegar a estrada RS-235 em direção a São Francisco de Paula e, depois, a RS-476 em direção a Bom Jesus. O trecho da 476 é de estrada de terra, por 9 km até chegar ao parque.

Saindo de São Francisco de Paula, pela RS-235 em direção a Canela, o trajeto é de 35 km, com um pedágio no caminho. Também é preciso pegar o trecho da RS-476.

Aproximadamente 2 km antes da chegada no parque, há um mirante natural para um “U” do rio Caí. Não há estrutura alguma tampouco placas indicando o local. Coloca no GPS a localização deste ponto: -29.274450, -50.754336, vale a pena dar uma paradinha para admirar.

A melhor maneira de ir é com veículo próprio. Para quem pretende utilizar o serviço de táxi ou mesmo de Uber, é recomendável deixar previamente acertado o transfer de retorno, pois o sinal de internet e/ou de celular é fraco e falho na região do Parque da Cachoeira.

Chegando no Parque da Cachoeira: a ponte do Passo do Inferno

Defronte à entrada do Parque da Cachoeira, fica a belíssima ponte de metal, construída entre 1932 e 1935.

Parque da Cachoeira.

O local é chamado de Passo do Inferno, pois antes da construção da ponte era o único ponto da região, por quilômetros, onde o rio podia ser atravessado. Depois de passar com o carro pelo vão de 74 metros da ponte, recomendo descer e passar por ela a pé. Do meio da ponte, tem-se uma bela visão da Cachoeira do Rio Cará.

Parque da Cachoeira.
Cachoeira do Rio Cará, vista da ponte.
A entrada do Parque da Cachoeira.
O Parque da Cachoeira

Apesar do nome no singular, o parque tem duas quedas d’água: a Cachoeira do Rio Cará e a Cachoeira Escondida. A estrutura reúne trilhas autoguiadas, apartamentos e cabanas, espaço para camping, área para piqueniques com mesas e churrasqueiras e piscina externa com água natural do rio com toboágua (escorregador).

O banho nas cachoeiras não é permitido por questões de segurança. Há áreas próprias (demarcadas) para os banhos de rio, uma no rio Cará e outra no rio Santa Cruz.

Mapa do parque. Fonte: site oficial do Parque da Cachoeira.
Cabanas.
Camping.
Piscina de água do rio e toboágua.

Há uma pequena lanchonete no parque, vendendo bebidas, lanches simples e alguns itens quebra-galho para quem está acampando.

As trilhas do Parque da Cachoeira

O Parque da Cachoeira conta com duas trilhas autoguiadas de dificuldade moderada: a Trilha da Toca e a Trilha dos Xaxins Gigantes.

Trilha dos Xaxins Gigantes

A Trilha dos Xaxins Gigantes é um caminho circular de 3 km, sendo estimados aproximadamente 90 minutos para percorrê-la. Essa trilha passa por dois picos, pela floresta de xaxins gigantes e finaliza logo após a área para banho das piscinas naturais do rio Cará.

Trilha da Toca

A Trilha da Toca tem o trajeto de 4km (ida e volta), levando até a Cachoeira Escondida. O tempo estimado total é de 130 minutos.

Foi essa trilha que escolhemos explorar durante nossa visita de um dia ao Parque da Cachoeira.

Após passar pela recepção do parque, descemos um caminho de poucos minutos que leva à base da Cachoeira do Rio Cará.

Parque da Cachoeira.
Cachoeira do Rio Cará.

Seguimos por uma pequena ponte de concreto que leva à área de banho do rio Santa Cruz.

Parque da Cachoeira.
A pequena ponte de concreto e a vista para a ponte de metal.
Parque da Cachoeira.
Piscinas naturais do rio Santa Cruz.
Parque da Cachoeira.
Vista da área para banho do rio Santa Cruz.

A partir desse ponto, seguimos pela trilha que acompanha o tempo inteiro o leito do rio Santa Cruz. O caminho é estreito em meio à vegetação, com diversas pedras soltas e raízes de árvores. A atenção deve ser permanente. Se tens um bastão de caminhada, recomendo levar, ele será útil. Nós encontramos pedaços de pau que cumpriram a função do bastão e, ao terminar a trilha, deixamos ali bem à vista para que outras pessoas pudessem usá-los também.

Como boa parte do caminho é coberta pela mata, muitos pontos ficam com o solo bem úmido: calçados apropriados para caminhada em terreno instável e escorregadio é importante. Os cuidados devem ser redobrados durante ou após chuvas.

Quando avistamos as ruínas da Usina Hidrelétrica, estamos pertinho do final da trilha.

As ruínas da Usina Hidrelétrica.

Apesar do parque estimar que cada parte do percurso é feita em 65 minutos, chegamos à Cachoeira Escondida em cerca de 50.

A Cachoeira Escondida
Parque da Cachoeira.
A Cachoeira Escondida, ao final da Trilha da Toca.

Sentamos nesta pedra na lateral da cachoeira e fizemos um lanche curtindo a paz de termos o lugar todinho para nós.

Ah, e não custa ressaltar: traz de volta todo e qualquer lixo para um descarte adequado após a trilha!

Voltando alguns metros na trilha, há um buraco na pedra que leva para o interior de uma toca. É passando por ali que chegamos ao ponto em que ficamos bem de frente para a Cachoeira Escondida.

Parque da Cachoeira.

Há a possibilidade de avistar alguns animais, mas só vimos algumas borboletas e outros insetos coloridos.

Durante a Trilha da Toca, cruzamos com apenas duas famílias na ida, absolutamente nenhuma outra pessoa durante aproximadamente meia hora que ficamos na Cachoeira Escondida, e apenas por outro casal no trajeto de volta. Isso em pleno feriadão, enquanto Gramado e Canela “cuspiam gente”. Era exatamente o distanciamento e a tranquilidade que procurávamos.

O mirante

Perto da área das cabanas e apartamentos, há uma torre que serve de mirante. Dá para ver de cima a Cachoeira do Rio Cará, a ponte de metal e muito, muito verde ao redor.

Parque da Cachoeira.
Cachoeira do Rio Cará, vista do mirante.
Parque da Cachoeira.
Ponte de metal, vista do mirante.
Em resumo

Se estás na Serra Gaúcha e procuras um lugar para ter muito contato com a natureza e pouco contato com outras pessoas, o Parque da Cachoeira é um excelente destino!

Para informações atualizadas sobre horários de funcionamento, valor de ingresso ou detalhes sobre hospedagem, consulta o site oficial do Parque da Cachoeira.


Pode te interessar ler também:


O blog fica muito melhor e mais completo com tua participação. Tens alguma sugestão para dar, alguma informação a acrescentar, alguma dúvida? Deixa nos comentários 😉