04/01/2017

Novamente fomos de metrô até a estação Coyoacán e andamos até o Museu Frida. Ressaltando o que já falei no post anterior, compra antecipadamente o teu ingresso!

Nosso ingresso era para 11h30, chegamos lá uma meia hora antes mas não adiantou nada, eles controlam rigorosamente o horário de entrada de cada pessoa e só entramos no nosso.

Para quem quer tirar fotos lá dentro, é necessário pagar uma taxa de permissão. Há funcionários em todas as salas do museu cuidando se as pessoas que estão fotografando têm o tíquete que comprova o pagamento da taxa.

E quanto ao museu, o que dizer? É emocionante estar na casa onde viveu essa mulher com uma história de vida incrível! Seu ateliê, seu quarto, o pátio, a cozinha, seus objetos pessoais… Mesmo com os problemas de saúde que a acompanharam por toda a vida e vivendo em uma sociedade bastante machista (ainda mais na sua época), foi uma mulher maravilhosa, uma artista notável, uma pessoa com fortes ideais políticos e uma mexicana que valorizava e exaltava suas raízes.

pátio casa azul

Pátio da Casa Azul, como é conhecido o local.

coletes ortopédicos frida

Coletes e acessórios ortopédicos usados por ela.

vestidos frida

Alguns dos seus vestidos e…

corpetes frida

…as armações usadas sob eles, a fim de aumentar o volume na parte de baixo (e assim esconder suas pernas) e estabilizar a sua coluna.

colar pés frida

Colar de pés!

interior museu frida

cozinha museu frida

Que cozinha linda!

quarto diego museu frida

Quarto de Diego Rivera e o seu clássico macacão pendurado.

quarto frida museu frida

Cama de Frida e sua máscara mortuária.

cinzas museu frida

As cinzas dela estão naquele vaso à esquerda.

atelie museu frida

Ateliê.

tintas museu frida

mural museu frida

Há documentários legais sobre ela no Youtube, e até o filme “Frida”, com a Salma Hayek, dá uma boa ideia de sua história para quem queira conhecer um pouco mais.

foto museu frida

Fazendo um pouco de bobice no museu 😀 .

Saí de lá muito feliz! <3

Pegamos o metrô até o Zócalo (desta vez estava cheião de gente!) e demos uma caminhada de despedida por ali.

No caminho rumo ao apartamento, encontramos um lugar bem simpático para almoçar: Los Callejeros (na Av. 5 de Mayo, a uma quadra e meia do Palácio de Belas Artes e da Torre Latino Americana). Opção econômica de deliciosos tacos com recheios a escolher, e para beber, dividimos uma horchata de morango (muito gostosa!) e um suco de pepino, limão e hortelã (muito bom e refrescante).

los callejeros

Los Callejeros.

Buscamos nossas coisas no apartamento e pegamos o metrô até a Estação Autobuses del Norte. Nosso ônibus para Puebla era às 17 horas, aproveitamos que chegamos um pouco mais cedo e compramos as demais passagens dos trechos de ônibus que não tínhamos conseguido comprar antes. Enquanto estávamos na fila para comprar, passaram uns seguranças gritando e mandando que todos se dirigissem para as suas plataformas de embarque e se retirassem dali do saguão. Nos olhamos apreensivos e vimos que de cada 20 pessoas, uma saía dali. O resto continuava com a cara mais normal do mundo. Os seguranças passaram gritando mais umas duas vezes, mas como a maioria das pessoas não se mexia dali, também ficamos até conseguir fazer a compra. Até hoje não sabemos o que estava acontecendo 😮 …

Houve uma pequena confusão para encontrar nosso ônibus, o painel indicava uma plataforma de embarque, mas de lá nos mandaram ir para outra, e dessa outra de volta para a primeira, e ninguém sabia qual era de fato nosso ônibus… até que dali a pouco eles conseguiram se entender e partimos.

Tínhamos a informação de que os ônibus para Puebla saíam da Estação Oriente, mas a moça que nos vendeu a passagem disse que também havia ônibus que saíam dali da Autobuses del Norte e compramos essa. No fim das contas, ficamos uma hora rodando no maior engarrafamento dentro da Cidade do México até chegar na estação Oriente para que mais pessoas embarcassem e só aí partimos em direção a Puebla 😕 . Não façam essa bobagem, comprem a partida direto da Oriente.

Sobre a Cidade do México: eu já achava que ia gostar, e mesmo assim minhas expectativas foram superadas. Gostei muito! 6 dias/5 noites não são suficientes para explorar tudo o que a cidade oferece, mas conseguimos fazer tudo o que a gente queria com calma e curtindo bem. A cidade é muito segura (pelo menos nas áreas turísticas) e os mexicanos são uns queridos!

Um detalhe que achamos engraçado foi a quantidade de roupas que eles usavam. Nessa época é inverno por lá, mas assim como no começo da manhã e à noite fazia um certo frio (chegamos a pegar 13º), à tarde a temperatura sempre ficava ao redor de uns 23º. Enquanto a gente andava de camiseta, os mexicanos estavam de casacão e manta XD . Eles levam muito a sério esse papo de ser inverno 😀 .

Alguns gastos (pesos):

  • Almoço para 3 no Los Callejeros: 170
  • Ônibus para Puebla (comprado com dois dias de antecedência): 200